Justiça cobra de cassados R$ 1,3 mi por gastos com novas eleições

A Justiça Eleitoral está cobrando de 34 prefeitos cassados R$ 1,3 milhão gastos para a realização de novas eleições.

Segundo o TSE (Tribunal Superior Eleitoral), as cobranças se referem às eleições municipais de 2008.

Desde o ano passado, em parceria com a AGU (Advocacia-Geral da União), a Justiça passou a fazer a cobrança por entender que os cassados são responsáveis pelos prejuízos causados pela a organização de um novo pleito.

Uma eleição suplementar sempre é convocada quando o candidato eleito com mais de 50% dos votos tem o registro negado ou quando é cassado do cargo por alguma irregularidade.

O secretário-geral da Presidência do TSE, Carlos Henrique Braga, afirma que a realização de novos pleitos nessas situações é a prioridade da Justiça Eleitoral.

De acordo com dados do TSE, desde 2008 foram realizadas 179 novas eleições municipais.

Só em 2013 acontecem pleitos em 26 cidades. Outros seis outros já estão agendados --Meruoca (CE), General Salgado (SP), Cananeia (SP), Santa Maria da Boa Vista (PE), Primavera (PE) e Simões (PI).