Reforma política visa ampliar participação popular

Andréa Ponte Souza

 

São Paulo – A necessidade de ampliar a participação popular e de aperfeiçoar as instituições democráticas no país esteve no centro das discussões do MB em Debate Especial dos 90 anos do Sindicato, cujo tema foi Reforma Política. O programa de webtv, apresentado pela presidenta do Sindicato, Juvandia Moreira, foi realizado na noite de quinta-feira 9, na sede da entidade.

O MB contou com a participação do doutor em Ciência Política pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (Iuperj) Fabiano Santos. Por problemas no vôo que o trazia para São Paulo, o presidente do Partido dos Trabalhadores (PT), Rui Falcão, também convidado a debater o tema, não pode participar do programa. Falcão lidera campanha por coleta de assinaturas para projeto de iniciativa popular que prevê mudanças no sistema político e eleitoral.

“Esse é um debate que está na agenda política do país e que temos de colocar como prioridade do movimento sindical, já que se trata de um tema fundamental para o fortalecimento da democracia”, disse Juvandia ao iniciar o programa.

Fabiano Santos lembrou que o país já discutiu o tema após a Constituição de 1988, debate que resultou no plebiscito de 1993 para decidir entre regime republicano e monarquista e entre sistema presidencialista ou parlamentarista. Mas acrescentou que o que se defende hoje como reforma política é totalmente diverso daquilo que se propunha nos anos 1990. “O sentido era claramente de fechamento das instituições, de reduzir o peso do voto no sistema político, de diminuir o número de partidos e o número de eleições. Esse sentido mudou. Hoje a reforma política proposta tem o claro objetivo de fortalecer a democracia no sentido da participação, da inclusão, da inserção.”

O cientista político ressaltou, entretanto, que nem sempre o que se propõe como alteração resulta no que se previu. “Concordo com o espirito da reforma política que se propõe atualmente. Mas temos de ter cuidado porque quando se mexe nas instituições pode-se ter consequências diferentes daquelas inicialmente pensadas. Temos de ter muita prudência”, ponderou.


Cidadania – Juvandia lembrou que política é algo essencial na vida das pessoas, mas que na mídia predomina o discurso que a associa a algo negativo. “Os meios de comunicação contribuem para a despolitização da população, quando na verdade muitas coisas da nossa vida são decididas pela via da política. Queremos chamar a atenção do trabalhador de que somos cidadãos, de que temos de ser atuantes e agentes da transformação, tanto na nossa vida quanto na nossa cidade, estado e país.”

A dirigente destacou que é a ampliação da participação o que se pretende com o projeto de reforma política. “Como fazer com que o povo tenha mais poder? Como fortalecer a classe trabalhadora, que é a maioria, mas que está pouco representada nas instituições políticas como o Congresso Nacional?” E acrescentou: “O movimento sindical e essa casa aqui, que completou 90 anos de história, sempre primou por isso, por fortalecer a democracia.”


Curta-metragem – Após o debate, foi lançado o curta-metragem de animação Sindicato Cidadão. O filme mostra que a atuação da entidade vai além da pauta da categoria, compreendendo também a luta pelos direitos do cidadão, por melhorias na cidade e no país e por uma sociedade mais justa e igualitária. O curta faz parte da série de animações em comemoração aos 90 anos.